FAQ - Solução de Estações de Tratamento

O sistema de tratamento adequado é variável de acordo com o seu efluente. Atualmente a Projeto Ambiental trabalha com os modelos a seguir, mas a fabricação própria permite adequá-los à necessidade do cliente:

PRO ETA PLUVIAL
A Estação de Tratamento de Água Pluvial (PRO ETA) é um sistema automático e compacto, para o tratamento e o aproveitamento da água pluvial, água de chuva, captada de coberturas e pisos, podendo ser aplicada em prédios comerciais, condomínios residenciais, indústrias, postos de combustível, concessionarias, transportadoras, canteiros de obras e outros empreendimentos.

PRO ETA POÇO ARTESIANO
A Estação de Tratamento de Água do Poço Artesiano (PRO ETA) é um sistema automático para o tratamento de água captada de poços profundos, enquadrando a água nos padrões de qualidade de potabilidade.

PRO ETAF – FILTRAÇÃO
A Estação de Tratamento de Água por Filtração Dupla (PRO ETAF) é um sistema de tratamento automático com alta eficiência, indicado para tratamento da água com baixa turbidez e sujidade, ideal para lava rápidos (lavagem de veículos), lavanderias e outras águas residuais.

PRO ETAF – ÁGUAS CINZA
A Estação de Tratamento de Águas Cinza (PRO ETAF) é projetado para o tratamento das águas cinza, reduzindo o consumo de água potável em atividades não nobres. As águas cinza são águas residuais geradas a partir de processos domésticos, como, torneiras, chuveiros, lavanderias e lavatórios, que estão separados do esgoto sanitário.

PRO ETB – EFLUENTE BIOLÓGICO
Tratamento de efluente biológico, efluente sanitário, para empreendimentos localizados em área desprovida de rede pública coletora de esgoto. Segmentos: indústrias, construtoras, concessionárias de veículos, hotéis, transportadoras, empresas de ônibus e outros.

PRO ETE – EFLUENTE INDUSTRIAL
O sistema de tratamento de efluente, modelo PRO ETE, é projetada para atender a necessidade de tratamento de efluentes provenientes de lavagem de veículos, lavagem de peças, lavanderias, oficinas e áreas de manutenção, troca de óleo e atividades indústrias com geração de efluente.

PRO ETA DESMI E PRO ETA ABRAN
Dependendo da região é muito comum água com grande quantidade de sais dissolvidos – como o cloreto – seja em águas de poço artesiano, nascente e até mesmo fornecida pela concessionária. São destinadas a casas, prédios, hospitais, hotéis, shopping centers, indústrias, sítios, fazendas, siderúrgicas, mineradoras, indústrias alimentícias, farmacêuticas. Instalados em águas previamente tratadas pelas concessionárias ou brutas.

Além disso, se o efluente gerado contém óleo, é necessário realizar um pré-tratamento na Caixa Separadora de Água e Óleo antes de ser direcionado à estação de tratamento.

Depende da qualidade da água de reúso. Esta pode estar classificada conforme  as classes 1, 2, 3 e 4. Os usos preponderantes de acordo com a classificação são basicamente os seguintes:

  • Descarga de bacias sanitárias, lavagem de pisos e fins ornamentais (chafarizes, espelhos de água etc.);
  • Lavagem de roupas e de veículos;
  • Lavagem de agregados;
  • Preparação de concreto;
  • Compactação do solo e;
  • Controle de poeira;
  • Irrigação de áreas verdes e rega de jardins
  • Resfriamento de equipamentos de ar condicionado (torres de resfriamento);

A resolução 357/2005 do Conama, alterada pela Resolução 410/2009 e pela 430/2011, dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Todavia, a legislação é variável pela localidade. Por isso é necessário atentar-se para a legislação de sua cidade/ estado.

A manutenção preventiva é imprescindível para manter o bom estado do equipamento e para garantir a qualidade da água tratada. Ela é composta pela substituição do elemento filtrante, eletrodo de pH e manta de poliéster. Essa manutenção deve ser realizada de 4 a 6 meses, para PRO ETA e PRO ETAF e de 6 a 8 meses para PRO ETE e PRO ETB.

Além disso, é necessária a reposição do produto químico utilizado no tratamento. Essa reposição é realizada pelo operador da estação (funcionário(s) da empresa treinado(s) pela Projeto Ambiental).

A Projeto Ambiental oferece também o monitoramento técnico, operacional e analítico das estações de tratamento, que mantém a eficiência do processo de tratamento e garante a qualidade da água tratada. Esse acompanhamento técnico especializado garante a boa operação do equipamento e consequentemente o mantém em bom estado.

Não é necessária a disponibilização de um funcionário full time para operar a estação, mas é necessária a realização da rotina diária de monitoramento, que é orientado pela Projeto Ambiental durante o treinamento operacional do sistema.

Fechar Menu